O Leitor

“Michael tem somente 15 anos quando conhece Hanna, uma mulher 21 anos mais velha. É o início de uma delicada relação amorosa, marcada por pequenos gestos e rituais. A leitura de clássicos de Tolstói, Dieckens e Goethe precede os encontros. Ao longo de meses, o casal repete essas cerimônias, interrompidas pelo súbito desaparecimento de Hanna. Sete anos depois, Michael, estudante de direito, é convidado a tomar parte em um julgamento contra criminosos do regime nazista. Ele descobre que uma das acusadas é sua antiga amante, o que o lança a um vórtice de culpa e piedade.”

oleitor

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em LIVROS, ROMANCE

Clarice Lispector jornalista: Páginas femininas e outras páginas

A grande escritora Clarice Lispector, por necessidade financeira, manteve colunas femininas utilizando pseudônimos para discorrer sobre beleza, moda e comportamento. O livro revela suas hesitações ao escrever para o grande público e o aspecto desbravador de sua trajetória. Dentre inúmeros livros que aborda a carreira literária de Clarice, este é muito bom!

clispectorjornalista

Deixe um comentário

Arquivado em BIOGRAFIA, Clarice Lispector, LIVROS

Marley e eu: a vida e o amor ao lado do pior cão do mundo

marley&eu

“John e Jenny eram jovens, apaixonados e estavam começando a sua vida juntos, sem grandes preocupações, até ao momento em que levaram para casa Marley, “um bola de pêlo amarelo em forma de cachorro”, que, rapidamente, se transformou num labrador enorme e encorpado de 43 quilos. Era um cão como não havia outro nas redondezas: arrombava portas, esgadanhava paredes, babava nas visitas, comia roupa do varal alheio e abocanhava tudo a que pudesse. De nada lhe valeram os tranqüilizantes receitados pelo veterinário, nem a “escola de boas maneiras”, de onde, aliás, foi expulso. Mas, acima de tudo, Marley tinha um coração puro e a sua lealdade era incondicional. Imperdível.”

E ainda, o impagável filme baseado na história do livro. Vale a pena!

marley&eudvd

Deixe um comentário

Arquivado em BIOGRAFIA, LIVROS

Nigella Express

Uma das chefs internacionais mais geniais, Nigella tem inspiração para culinário com qualquer igrediente que encontrar na dispensa ou na geladeira. Quitutes deliciosos para serem servidos nas mais deliciosas das reuniões com os amigos ou nos assaltos a geladeira na madrugada. Culinária fantástica! O livro vale muito a pena.

“A chef britânica Nigella Lawson, conhecida por suas receitas caseiras, traz neste livro uma grande variedade de ótimas receitas. E o principal: sem que você perca muito tempo na cozinha. Ela radicaliza o conceito de simplicidade e ensina receitas que podem ser preparadas em até meia hora. Este livro é ideal para quem não tem muito tempo para ficar na cozinha, mas quer fazer pratos saborosos e diferentes.”

nigela

Deixe um comentário

Arquivado em GASTRONOMIA, LIVROS

Renato Russo: o filho da revolução

Para os que viveram os anos 80:

renatorusso

“O livro, que teve apuração acuradíssima, traz muitas informações inéditas e interessantes sobre Renato Russo, líder da Legião Urbana e maior ídolo do rock brasileiro. A vivência do músico na capital controlada pelos militares é pela primeira vez reconstituída em detalhes. Letras inéditas e documentos descobertos pelo autor revelam aspectos poucos conhecidos da trajetória do artista: paixões, angústias, sonhos e confissões. A obra conta com mais de cem entrevistas, incluindo depoimentos de Dado Villa-Lobos, Dinho Ouro Preto, Herbert Vianna, Millôr Fernandes, Ney Matogrosso, Tony Bellotto e vários amigos anônimos. Um retrato do artista multi-facetado que foi Renato Russo.”

Há também mais 2 livros sobre este gênio:

renatorusso2                  renatorusso3

Deixe um comentário

Arquivado em BIOGRAFIA, LIVROS

LEITE DERRAMADO – Chico Buarque

Uma saga familiar caracterizada pela decadência social e econômica, tendo como pano de fundo a história do Brasil dos últimos dois séculos

Um homem muito velho está num leito de hospital. Membro de uma tradicional família brasileira, ele desfia, num monólogo dirigido à filha, às enfermeiras e a quem quiser ouvir, a história de sua linhagem desde os ancestrais portugueses, passando por um barão do Império, um senador da Primeira República, até o tataraneto, garotão do Rio de Janeiro atual. A visão que o autor nos oferece da sociedade brasileira é extremamente pessimista: compadrios, preconceitos de classe e de raça, machismo, oportunismo, corrupção, destruição da natureza, delinquência.
A saga familiar marcada pela decadência é um gênero consagrado no romance ocidental moderno. A primeira originalidade deste livro, com relação ao gênero, é sua brevidade. As sagas familiares são geralmente espraiadas em vários volumes; aqui, ela se concentra em 200 páginas. Outra originalidade é sua estrutura narrativa. A ordem lógica e cronológica habitual do gênero é embaralhada, por se tratar de uma memória desfalecente, repetitiva mas contraditória, obsessiva mas esburacada.
O texto é construído de maneira primorosa, no plano narrativo como no plano do estilo. A fala desarticulada do ancião, ao mesmo tempo que preenche uma função de verossimilhança, cria dúvidas e suspenses que prendem o leitor. O discurso da personagem parece espontâneo, mas o escritor domina com mão firme as associações livres, as falsidades e os não-ditos, de modo que o leitor pode ler nas entrelinhas, partilhando a ironia do autor, verdades que a personagem não consegue enfrentar.
Em suas leves variantes, as lembranças obsessivas revelam sutilezas ideológicas e psíquicas. E, como essas lembranças têm forte componente plástico, criam imagens fascinantes. Tudo, neste texto, é conciso e preciso. Como num quebra-cabeça bem concebido, nenhum elemento é supérfluo.
Há também um jogo com os espaços onde ocorrem os acontecimentos narrados. As várias casas em que o narrador morou, como as décadas acumuladas em suas lembranças, se sobrepõem e se revezam.
O fato de nem no fim da vida o homem compreender e aceitar o que aconteceu torna seu drama ainda mais lamentável. Os enganos ocasionados por seu ciúme são tragicômicos, e o escritor os expõe com uma acuidade psicológica que podemos, sem exagero, qualificar de proustiana. Leyla Perrone-Moisés

  • Editora: Companhia das Letras
  • Autor: CHICO BUARQUE
  • leitederramado

    Deixe um comentário

    Arquivado em Chico Buarque, LIVROS, ROMANCE

    A Hora da Estrela – Clarice Lispector

    Começo com uma das mais conhecidas obras dessa grande escritora brasileira (de origem ucraniana) que foi Clarice Lispector. Sem sombra de dúvida a minha preferida. Por isso a escolha de começar o site com ela.

    A Hora da Estrela é a história de uma mulher miserável, nordestina, chamada Macabea que mal tem consciência da sua existência. O livro foi adaptado para o cinema com destaque para atuação de Fernanda Montenegro.

    Segue o texto de apresentação do livro no site da Rocco:

    “Último livro escrito por Clarice Lispector, A Hora da Estrela é também um despedida. Lançada pouco antes de sua morte em 1977, a obra conta os momentos de criação do escrito Rodrigo S. M. (a própria Clarice) narrando a história de Macabéa, uma alagoana órfã, virgem e solitária, criada por uma tia tirana, que a leva para o Rio de Janeiro, onde trabalha como datilógrafa.

    Em A Hora da Estrela Clarice escreve sabendo que a morte está próxima e põe um pouco de si nas personagens Rodrigo e Macabéa. Ele, um escritor à espera da morte; ela, uma solitária que gosta de ouvir a Rádio Relógio e que passou a infância no Nordeste, como Clarice. Na Dedicatória do Autor, um pequeno texto que introduz a história propriamente dita, a autora dedica a obra e ela própria à música de Schumann, Beethoven, Bach, Chopin, Stravinsky, Richard Strauss, Debussy, Marlos Nobre, Prokofiev, Carl Orff, Schönberg e outros, “que em mim atingiram zonas assutadoramente inesperadas”.

    A despedida de Clarice é uma obra instigante e inovadora. Como diz a personagem Rodrigo “estou escrevendo na hora mesma em que sou lido”. É Clarice contando uma história e, ao mesmo tempo, revelando ao leitor seu processo de criação e sua angústia diante da vida e da morte.

    Macabéa, a nordestina, cumpre seu destino sem reclamar. Feia, magra, sem entender muito bem o que se passa à sua volta, é maltratada pelo namorado Olímpico e pela colega Glória. Os dois são o seu oposto: o metalúrgico Olímpico sonha alto e quer ser deputado, e Glória, carioca da gema e gorda, tem família e hora certa para comer. Os doia acabam juntos, enquanto Macabéa, sozinha, continua a viver sem saber porque está vivendo, sem pensar no futuro nem sonhar com uma vida melhor. Até que um dia, seguindo uma recomendação de Glória, procura a cartomante Carlota, uma ex-prostituta do Mangue, que revela a Macabéa toda a inutilidade de sua vida. Mas também enche-a de esperança, prevendo a paixão por um estrangeiro rico, com quem ela iria se casar.

    Ao sair da casa da cartomante, num beco no subúrbio carioca de Olaria, aidna atônita com o que ouvira, Macabéa tenta atravessar a rua, mas é atropelada por um Mercedes. Estirada no paralelepípedo, com curiosos à sua volta, pronuncia suas últimas palavras – “quanto ao futuro” – também um dos vários títulos de A Hora da Estrela.

    A morte de Macabéa é também a morte de Clarice. Incorporada ao escritor Rodrigo, a autora diz: “Macabéa me matou. Ela estava enfim likvre de si e de nós. Não vos assusteis, morrer é um instante, passa logo, eu sei porque acabo de morrer com a moça.”

    A-HORA-DA-ESTRELA-2009

    Deixe um comentário

    Arquivado em Clarice Lispector, LIVROS, ROMANCE